quinta-feira, 14 de outubro de 2010

eh 3D - Ventriloquo!


1. 3D é teu PassádiS - Um pouco de história!

Há muito tempo, ainda na época de escola, um amigo, que também dividia os mesmos interesses por desenho, cinema e animação, veio me mostrar um programa de manipulação 3D, chamado Corel 3D!

O programa, basicamente permitia que nós fizéssemos composições com formas básicas - tipo cones, bolas e quadrados - dentro de um ambiente tridimensional. Falando isso hoje, em tempos de ZBrush, nem é tão impactante..mas na época...era a coisa mais próxima de um Jurassic Park, que nós podíamos fazer. :D

Algum tempo depois, eu e esse meu amigo - o Henrique Barreto - descobrimos um programa mais bacanudo ainda, de nome 3Ds MAX. Esse sim, parecia perfeito. Nele era possível modelar, iluminar...e principalmente animar!

Engraçado que, ao contrário do Henrique, que se adaptou bem à dureza, aos excessos de botões e cálculos, do programa...eu tive um acesso de raiva terrível, ao mexer no 3D Max, pela primeira vez. Isso porque não consegui fazer nada. Uma bola, um quadrado..uma formiga em forma de pixel...Nada! Como vinha de um método de produção mais intuítivo e simples...demorei um pouquinho mais, pra me entender com o programa.

Enfim, é aquela coisa, não? É mesmo fazendo que se aprende.

Anos mais tarde - já na faculdade - eu e meu amigo, nos aliamos a mais um maluco talentoso - o Thiago Correia - um editor e finalizador de mão cheia! Era justamente o que faltava ao grupo.

2. Eureca - A idéia!

Foi logo em seguida da formação desse pequeno grupo, que eu pensei numa historinha bem simples pra tentarmos produzir.

Cheguei com os meninos e falei: Olha, poderíamos tentar fazer um curtinha com um cara só. O que vocês acham? Pensei até em uma coisa, tipo...sei lá, meio bizarra. Poderíamos fazer um cara brigando com ele mesmo. Algo com um estilo Chuck Jones. Absurdando tudo!

Foi assim que nasceu o Ventríloquo. Um cara, que tem uma meia enfiada na mão..e que em certo momento, começa a ficar confuso em relação a quem está controlando quem.

Um dos primeiros esboços da história.

Alguns concepts iniciais, do nosso protagonista, que aliás, batizamos de Waldomiro.

Geralmente, fazer roteiros em grupo é divertido. No caso do Ventriloquo, enquanto conversávamos sobre a trama, surgiam idéias assim: - Ah, seria bem legal se a meia puxasse uma faca...aí ele puxaria uma espada de esgrima. Ou a mão puxasse uma arma super fuderosa...e ele puxaria....um SABRE DE LUZ! ZIIEEEÓOON! :D

Como o que estávamos planejando era mais pra nossa própria diversão - e também não tínhamos idéia do trabalho que iria dar - Colocamos tudo isso no pacote: faca; espada; arma; sabre..e mais algumas coisas.


Alguns pequeninitos testes de insanidade. :D

3. Colocando a mão na meia. Ops, na massa - Produzindo!

Essa etapa foi bem maluca. Até conseguirmos um resultado bacana, de modelagem e iluminação, demorou muito. Mas toda vez que algo ficava no jeito, era uma festa.

Saca só as armas, como ficaram bem legais!

Ah um sabre desse na minha mão... :D

Aqui, alguns detalhes do personagem!


E agora sim...nosso ator principal. Devidamente produzido e maquiado! Olha só, o naipe do sujeito!


Nosso protagonista...

...E claro, o antagonista! Sr. Cabeça de meia!

Algumas cenas ou testes de acting do personagem.



Oscar pra ele!

4. No meio do caminho, havia uma uma pedra 3D - Complicações!

Durante toda a etapa de produção de um filme (seja curta ou longa metragem), enfretamos problemas. Isso é até natural. Problemas foram feitos para serem resolvidos...ou, como foi o nosso caso, para serem tirados como lição. O curta do Ventriloquo, infelizmente não foi concluído. Após uma série de dificuldades superadas, no nosso primeiro projeto, empacamos exatamente na animação.

Como bons autodidatas, eu e meus amigos, estávamos descobrindo como trabalhar através de tentativas, erros e acertos. Na animação...a falta de habilidade com o programa; o nosso grau de exigência - que beirava o enjoado - e também a nossa falta de planejamento de cenas...fizeram com que deixássemos o projeto em stand by. Quem sabe um dia role de brincarmos novamente com o personagem..

Um dos videos-teste de animação - Briga de um cara só.
5. Lições

Recentemente, eu li em um livro, que fala sobre o processo de produção da PIXAR..que por lá, por vezes um plano que não foi conluído, é tão ou mais empolgante, que um plano que deu certo. John Lasseter (o pai do Toy Story) diz o seguinte: "na Pixar quase ficamos mais animados com as coisas que não deram certo, porque, mesmo não sendo como esperávamos, nós tentamos".

No caso do Ventríloquo, foi mais ou menos assim. A tentativa valeu demais para aprendermos novas coisas..e pensarmos em novas possibilidades.

6. NOtaS!

- Em 2007, Eu, Thiago, Henrique e mais alguns amigos, produzimos um curta em live-action, que inclusive, teve pequeno e indesperado sucesso. Trata-se do toscamente perfeito: Luana Enlouquecente. Haha. Espero postar algo sobre ele no futuro.

- Ainda cogitamos a possibilidade de fazermos um curta animado, juntos. Além de estarmos mais experientes, hoje em dia, temos também alguns bons projetos em vista. Um deles é um curta-clipe, baseado numa música do sensacional Johnny Cash. Essa é um idéia antiga, minha, e tem como tema a solidão. Acho que pode ficar legal.

- Ah, uma coisa que esqueci de falar antes. Apesar dos vários concepts diferentes, do Waldomiro; a principal referência, para a etapa de modelagem do personagem...foi meu bisavô - o velho Mário! Aqui vai uma foto pra vocês conferirem.

Seu Mário segurando um pequeno e selvagem, filhote de Isaac.

Espero que cês tenham gostado do post. Aquele abraÇo..e até maiS!!!

8 comentários:

renato de medeiros disse...

sensacional o roteiro do curta cara, essa é uma fase que eu acho mais surpreendende pelo fato de tentar pensar em algo fantástico e ao mesmo tempo simples de fazer.

Isaac Braz disse...

Pois é, Renato, o roteiro é mesmo a alma do filme. Independente da técnica e recursos visuais empregados.

Eu, por exemplo, na maioria das vezes gosto de histórias simples, apoiadas no acting do (ou dos) personagem(ns).

Brigadão pelo comentário, Renato! Tu sabes que ontem mesmo, eu estava conversando com um dos amigos envolvidos nesse projeto (mostrei a postagem a ele), e a gente se perguntava se alguém iria comentar e o que iriam achar.

É muito legal saber que tu curtistes, cara. Valeu mesmo!

Abraço!

Renato Alexandre de Medeiros Fritzem disse...

de nada cara, realmente ficou muito bom, pena que o tempo é o que atrapalha, poderiamos ter varios clones nossos para dividir os trabalhos hehee, enquanto um vai trabalhar, outro fica estudando, outros fazendo trabalhos pessoais kk. Abraços e espero um dia poder curtir esse curta

José Lucas disse...

Mano, ó, DEMAIS isso! Muito foda mesmo! Uma coisa que ainda quero mexer na vida é com animação, seja em 3D ou não, e tu ta fazendo uma fodaça! Muito bom mesmo, Isaac!
Abraços!

Isaac Braz disse...

Hehehe. Podes crê, Renato. Clones seriam uma boa mesmo. Isso já me passou pela cabeça! XD

Abração, meu irmão!

Isaac Braz disse...

Grande Zé Lucas! Eu acho que a Beth ficaria ducacete, em animação, rapaz! É bom saber, que tu pensas na idéia de animar, no futuro.

Um abração pra ti, Zé, e brigadão pelas palavras!

renata weyl disse...

ficou muito bom isaac,até me inspirou!!!xD

Isaac Braz disse...

Pow, valeuzão, Renata! É muito legal saber de uma coisa dessas!

Um ABRAÇÃO pra ti!!!

Creative Commons License Obras licenciadas sob uma Licença Creative Commons.
Tecnologia do Blogger.